quinta-feira, 14 de abril de 2016

Requalificação do antigo Matadouro do Porto


Ora aqui está uma notícia que faz a menina insuflar de alegria! O antigo Matadouro da Campanhã vai ganhar novamente vida, vinte anos depois de ter sido desactivado. Este edifício que ocupa uma área de terreno de 29000 m2 viu o seu projecto aprovado em 1910, entrando em funcionamento em 1932. É um daqueles "monos" da cidade que sempre me fez imensa impressão ver derrogado ao abandono, degradando-se de dia para dia um bocado da história das gentes do Porto.
A apresentação do projecto de requalificação foi feita hoje na 21ª Trienal de Artes, Design e Arquitectura de Milão. 


Este é dos principais motivos pelo qual sou tão fascinada pela Cidade Invicta. Não se destrói edifícios históricos, reconstrói-se. Faz-se renascer, devolve-se à cidade e à população a tarefa de lhes dar vida.
É assim que uma cidade deve crescer, de dentro para fora. Mantendo-se fiel às suas origens, preservando a sua história, num equilíbrio perfeito e harmonioso entre o "bairrista" e o contemporâneo.

"O antigo Matadouro irá comportar uma "Área de Empresas Criativas e Tecnológicas" nacionais e internacionais; o "Museu da Indústria", com um pólo central e outro disseminado por vários espaços; uma valência dedicada à "Arte e Comunidade", coordenada por agentes multidisciplinares que desenvolvam práticas em áreas sociais e artísticas, em articulação com o tecido social de Campanhã.
Terá, também, a valência de "Reserva de Arte Contemporânea", dando resposta a necessidades de espaço de reserva por parte de colecionadores e artistas do Porto; irá conter uma "Nave-multiusos" preparada para acolher diversos tipos de apresentações, desde conferências, cinema ou eventos sociais; um "Laboratório de Gastronomia", projeto que combinará uma dimensão exploratória da gastronomia atlântica com práticas de lazer e consumo.
O equipamento vai ainda incluir "Estúdios Média e Audioviosual" para produção e gravação nas áreas do cinema, rádio, televisão e música, com espaços para arrendamento comercial e outros vocacionados para projetos pedagógicos emergentes.
Outra das valências alocadas será destinada às "Artes e Ofícios Tradicionais", que incluirá, por exemplo, locais de trabalho para encadernadores, estofadores, carpinteiros e outros artesãos.
Terá, também, um "Pólo de Desporto", com uma área desportiva coberta composta por um campo multiusos e respetivas instalações de apoio e, a terminar, uma valência de "Residências Artísticas, com estúdios que incluem uma área de residência e de outra de apresentação pública destinadas a artistas nacionais e estrangeiros." 

Podem consultar mais sobre este projecto AQUI
 
Orgulho, muito muito orgulho desta cidade!
 
Até breve**